segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Amor não tem idade


 Chegou tarde mais uma vez do hospital que ela trabalhava por amor, mas que também ajudava no complemento do mês. Chamou "Querido", mas ninguém respondeu então subiu e tomou um banho bem demorado.
  Secou seu corpo amarelo e enrugado parte por parte enquanto se olhava no espelho e repensava nas noites a meia luz que suas gordurinhas não eram importantes. E enquanto enrolava os cabelos grisalhos na toalha lilás caminhava lentamente com a sua vergonha nua.
  Parou na porta do quarto bem decorado e lá estava ele deitado de bruços, eis a visão exata de um casamento de 45 anos, roncando feito um motor velho com aquela cueca frouxa que ele certamente encontrou no fundo da gaveta. Um homem não mais tão rígido, não mais tão másculo nem tão cabeludo, estava lá à esperando ou não, mas estava lá.
  Ela desligou a TV que ficou mais uma vez ligada. Colocou aquela calcinha bege sem graça, passou hidratante com adicionais de colágeno nas pernas. Deitou no canto da cama, ligou o abajur e continuou a ler seu livro de alto ajuda já marcado na pagina 42. Leu duas páginas e parou para admira-lo enquanto se espreguiçava.
 Ele se vira, ajeita o travesseiro e sorri, um sorriso gostoso de saudade. Depois de tanto tempo ele ainda via beleza naquela mulher de 65 anos iluminada por uma luz incandescente. Ela retribui o sorriso e faz um afago no seu rosto. Não sei como isso era possível, mas ainda o amava tanto ou mais do que no dia em que se casaram.
 Naquela mesma noite compartilharam seus dias de uma forma minuciosa, relembraram os amigos que já se foram, reclamaram do genro, viram fotos antigas e cartas amareladas, lembraram das contas pra pagar, tomaram os remédios para o coração, se beijam com ternura e dormiram tranquilos. Por mais difícil que sejam os dias, ali naquela cama  eles sempre vão ter um ao outro para compartilhar tudo.
 O engraçado é que a paixão a primeira vista não se apaga com o amor eterno ela só aumenta quando se aprende a compartilhar cada ruga de preocupação e amar cada fio de cabelo branco daquela pessoa que está ao seu lado.

2 comentários:

  1. Não sei nem como vou comentar, simplismente sem comentarios.

    ResponderExcluir